sexta-feira, 7 de setembro de 2012

O FRUTO DO ESPÍRITO É O AMOR




LEITURA BÍBLICA: GL 5.16-25


INTRODUÇÃO:
       Amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, fé, mansidão, temperança! Que bom seria todo crente possuir todas estas virtudes, e viver em um ambiente onde elas predominassem! Seria o céu aqui na terra. Mas, é exatamente isto que o Espírito quer produzir em nós; trabalhando o nosso caráter para que nos tornemos cada vez mais semelhantes a Jesus, em cuja personalidade pura e maravilhosa, o Fruto do Espírito se manifestava de modo pleno.

1- O FRUTO DO ESPÍRITO É O AMOR
       O amor é a essência da natureza de Deus (1 Jo 4.7,8), e este amor é universal, infinitamente abrangente (Jo 3.16), sacrificial, imerecido, misericordioso, incompreensível. O amor de Deus nos corrige, nos prova, nos atrai.
        O amor do homem para com Deus tem que resultar de uma escolha, pois tem sua origem na experiência do perdão dos pecados. É sério como o compromisso de uma noiva frente ao seu noivo, e se expressa através da obediência. O nosso amor se evidencias quando amamos o próximo; também, é através do amor que Deus é visto em nós. Devemos ter sempre uma atitude positiva, uma atitude de boa vontade para com todos, inclusive para com os oponentes, desejando a todos o melhor, e orar por todos. Devemos nos alegrar com os que se alegram e chorar com os que choram. Não se trata de sentimentalismo humano. é uma forma de viver como filhos do Pai que está nos céus. Pois o nosso amor ao próximo se demonstra com ações e tudo o que somos e fazemos deve estar saturado de amor.

2- AS DIFERENTES PROPRIEDADES DO FRUTO DO ESPÍRITO
a) Amor: É a fonte divina de onde emanam todas as virtudes espirituais. Deus é amor. Nós o amamos porque Ele derramou o seu amor em nossos corações (Rm 5.5). Este amor deve sempre aumentar (1 Ts 3.12). O amor é a evidencia da salvação. O amor é o elo que determina o aperfeiçoamento dos crentes (Cl 3.14).

b) Alegria: Faz parte da perfeição divina. O reino de Deus é alegria (Rm 14.17). O Evangelho, a mensagem do amor de Deus, é uma mensagem de alegria. A mensagem da salvação produz alegria. A intima comunhão com Jesus torna o nosso gozo completo.

c) Paz: Deus é Deus de paz (Fp 4.9), O Espírito vivifica em nós a obra de Jesus, o Príncipe da paz, que pagou por esta paz com a própria vida. podemos desfrutar desta paz em três dimensões:
1- Paz com Deus: O sangue da cruz de Cristo preparou a paz ( Cl 1.20). Se andarmos em Espírito, a paz com Deus será constante.
2- Paz com o próximo: O crente pode e deve viver em paz com todos os homens (Rm 12.18), pois ele é dominado pela paz. O crente cheio do fruto do espírito é um pacificador.
3- Paz interior: A paz de Deus guarda os nossos corações e os nossos sentimentos em Cristo Jesus (Fp 4.7).

d) Longanimidade: É ter "ânimo longo", ao invés de "ânimo precipitado" (Pv 14.29), ou seja é ser paciente. A paciência ajuda o crente nas suas relações com os irmãos, e no seu serviço para com Deus. Muitos de nós somos facilmente irritáveis quando encontramos oposição ou maldade. mas o Espírito quer vencer esta fraqueza em nosso temperamento.

e) Benignidade: É uma virtude que nos dá condições de tratarmos os outros com carinho e meiguice. É a característica de uma pessoa boa, amável, que não que magoar ou causar dor a outrem. ( Pv 16.24)

f) Bondade: É a prática do bem. Uma coisa é querer o bem, desejá-lo; outra, é realizá-lo. Deus é a fonte de toda a bondade porque ele é bom, e dele procede toda a boa dádiva. Quem possui essa característica em sua vida é feliz ( Pv 14.14), é uma benção para outros , e alcança o favor de Deus.

g) Fé:  Fé não é só crer e confiar firmemente. É também lealdade, fidelidade. Deus é fiel (1Co 1.9). A sua fidelidade permanece para sempre, na chamada do crente, no perdão, quando sofremos tentação, e na santificação. Sejamos também fiéis em tudo e receberemos a coroa da vida (Ap 2.10)

h) Mansidão: É uma virtude amorosa, pela qual temos condições de nos conservarmos pacíficos, com serenidade e brandura, sem alterações, quando nos deparamos com coisas adversas, irritantes, perturbadoras, malevolentes, desagradáveis. Fala de uma força invencível, mas sobe controle. É como um cavalo cheio de força e energia, mas totalmente sob controle do cavaleiro. Até poderíamos lutar pelos nossos direitos, mas entregamos nossa causa nas mãos de Jesus. " Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra" (Mt 5.5). Devemos aprender ser mansos com Jesus ( Mt 11.29)

i) Temperança, domínio próprio, autocontrole: Serve de freio no momento da tentação. O fruto do Espírito nos dá domínio para refrearmos a nossa inclinação carnal. A vontade de Deus pode às vezes significar que precisamos nos privar de algo, e o domínio próprio aceita a privação - a vontade de Deus é o mais importante (Mt 10. 37-39)

CONCLUSÃO:
       Contra estas coisas não há lei (Gl 5.23), isto é, nada na lei fala contra o amor, paz, alegria, etc. Por isso se andarmos em Espírito estamos livres da lei. Nesta atmosfera de liberdade é maravilhoso viver. E o fruto do Espírito em nossa vida serve de bênção para as pessoas que nos cercam.







Nenhum comentário:

Postar um comentário