domingo, 14 de dezembro de 2014

É POSSÍVEL UMA NOVA REFORMA PROTESTANTE?





Comércio da fé, Teologia da Prosperidade, amuletos evangélicos vendidos a peso de ouro por tele- evangelistas ávidos por audiência e lucros, templos luxuosos que custam milhões de reais erguidos com o único propósito de inflar o ego de líderes megalomaníacos.

Paradas para Jesus que não dizem para que vieram. Vozes que antes eram “proféticas e apologéticas” se calam diante do tilintar do vil metal e se tornam piores do que aquilo que antes criticavam. Apesar do crescimento do número de evangélicos no Brasil, a igreja não consegue influenciar culturalmente a sociedade a sua volta.

Diante destes e de outros casos que infelizmente acontecem, surgem aqueles que afirmam a necessidade da igreja evangélica brasileira passar por uma nova Reforma Protestante. Mas é possível que um movimento ocorrido na Europa do Século XVI se repita na igreja tupiniquim do século XXI?


Podemos afirmar que tal desejo é utópico beirando a infantilidade. O que aconteceu no ano de 1517, não irá se repetir nos dias de hoje. Alguns motivos nos levam a fazer esta afirmação.

1-  A Reforma Protestante foi um momento único na história do cristianismo ocidental. Foi da vontade de Deus que acontecesse naquele momento. Lutero deixou seu legado e isto é suficiente, não irá surgir outro igual a ele.

2- Mesmo que algumas pessoas não queiram admitir, a Reforma Protestante  contou com a ajuda do Estado para ser realizada. Lutero teve o apoio de vários nobres, o que evitou que fosse lançado na fogueira. O fim do sistema feudal e o consequente fortalecimento da figura do rei, fez com que várias nações, ávidas por se livrarem do incômodo senhorio papal e para tomar as inúmeras terras de propriedade da igreja romana, adotassem a nova religião. O apoio da nascente burguesia foi de primordial importância para este processo.
Atualmente um movimento similar, não contaria com o apoio do Estado laico brasileiro, pois este não está preocupado com a corrupção doutrinária da igreja evangélica brasileira. Sua única preocupação é com os milhões de reais livres de impostos que entram nas contas bancárias das instituições religiosas. Quando o governo ameaça fazer uma intervenção, os líderes, aqueles que seriam os maiores prejudicados, clamam aos céus pedindo proteção divina contra a perseguição, fazendo com que milhares de evangélicos desavisados os apoiem. O governo como não quer perder um considerável número de eleitores, desiste de fazer uma investigação.

3 – Uma nova Reforma Protestante é inviável, pois na verdade nunca houve uma reforma. O movimento iniciado por Lutero no século XVI não pode ser chamado de “Reforma”, no sentido exato da palavra. O que houve foi uma tentativa de reforma, como não obteve sucesso, aconteceu uma ruptura com o sistema existente. Se Lutero não conseguiu reformar a única igreja existente na sua época, a Católica Romana, nós também não obteremos sucesso.

A igreja brasileira é extremamente fragmentada, somos reformados, avivados, pentecostais, neopentecostais e etc. Qual destas aceitaria mudar? A resposta é simples: nenhuma. Seus líderes não aceitariam a perda do seu status quo, e a maioria dos seus membros está anestesiada na sua alienação.

Sofremos porque interpretamos a Reforma de maneira equivocada. Afirmamos temos o direito da livre interpretação das Escrituras Sagradas. Ledo engano afirmar que esta era a opinião dos reformadores. Lutero não defendia a livre interpretação, mas a livre leitura da Bíblia, a interpretação caberia aos teólogos. Para os leigos, Lutero deixou os seus catecismos.

Estes motivos são suficientes para afirmar que a repetição de algo similar a Reforma Protestante, é inviável nos dias atuais. Mas isto não exime aqueles que amam a Noiva do Cordeiro, de protestar contra a atual situação da igreja brasileira. Onde a maioria encontra-se alienada em si mesmo, buscando apenas a sua satisfação pessoal.

Um número cada vez maior de pessoas está fazendo como Lutero e rompendo com o sistema dominante. Estão abandonando a instituição e se reunindo em pequenos grupos, nas casas de seus componentes, assim como era feito na Igreja do século I. Seria um retorno ao passado? Seria esta a melhor solução? Creio que para estas perguntas, somente Deus tem as respostas.

7 comentários:

  1. Olá meus amigos.

    Parabéns pelo belo trabalho neste seu site.
    Já tornei-me vosso seguidor. Aproveitamos a oportunidade
    Para compartilhar também com vocês o nosso blog.
    Ficaremos felizes por vossa visita e mais ainda se seguir-nos.

    Atenciosamente

    Josiel Dias
    http://josiel-dias.blogspot.com
    Rio de Janeiro
    Brazil

    ResponderExcluir
  2. Antonio
    Realmente, como reformar o que temos hoje como igreja, tão pulverizada em milhares de diferentes 'denominações' ?
    Um retorno ao Evangelho verdadeiro só por ação direta do Espírito.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Creio que estamos muito focados na Teologia da prosperidade pensando que se resolvermos este problema estara tudo resolvido, acontece que a reforma de Lutero foi a cisão entre catolicos e protestantes hoje a problema esta entre os pentecostais que chegaram aqui no Brasil oriunda de Rua Azuza os Lideres ja chegaram com o pensamento de Colonialismo e imperio como podemos ver sendo a Matriz a assembleia de Deus e congregação Cristã no Brasil sendo assim esta muito dificil juntar esse mosaico mesmo porque a liderança não tem a predisposição de dialogar como vemos cada um interessado em erguer seu Império com a doação imposta para o povo e as "Ovelhasé para servir aos imperadores sem direito de questionamento porque servo é para servir ao Deus Mamon.

    ResponderExcluir
  4. realmente um blog abencoado por Deus atraves das maravilhosas mensagens de Deus

    ResponderExcluir
  5. Creio sim que a igreja precisa de uma reforma urgente, porque o evangelho que pregado por aí infelizmente não é o evangelho de cristo, mas cada um prega seu próprio evangelho manipulador com o objetivo de ganhar membros para sua própria igreja e engordar contas bancárias e investindo dinheiro de dízimos para coisas mundana, sem preocupação com a salvação do povo, creio que Deus está levantando homens para essa reforma.

    ResponderExcluir
  6. Escrevi um livro que contem um novo projeto para a igreja e missão,
    gostaria de reunir interessados em fundar uma nova denominação ou agência missionária baseado no projeto do livro

    não é mais do mesmo, mas busca vivificar e reformar o cristianismo moderno.

    O livro está disponibilizado gratuitamente no meu blog:
    http://projeto-igrejasemissoes.blogspot.com.br/

    Peço que leia o livro, avalie o projeto e então decida se quer me ajudar a fundar uma nova denominação ou agência missionária e entre em contato comigo ou indique o meu projeto a outros líderes de igreja que conheça para me apoiar

    grato desde já.

    ResponderExcluir

  7. observação: o projeto se encontra apartir da unidade 4 do livro, principal no capítulo 18 do livro.


    O QUE É NECESSÁRIO PARA FAZER ESTE PROJETO INICIAR-SE?

    1 - Pessoas com casa própria dispostas a permitir cultos todos os dias em suas casas(que tenha uma garagem ou quintal)

    2 - Pessoas com experiência em ministérios(pastores, missionários, evangelistas) com a mesma visão do livro.

    Observação: De preferência, as pessoas com experiência em ministérios disponibilizem a própria casa, se sobrar casas, escolher pessoas com mais de dois anos de batizados e com frequência nos cultos de uma igreja para ser o ministro do culto em casa.

    3 - Algum capital inicial, mesmo que pequeno, para publicar o livro impresso(está apenas em ebook), poder pagar passagem de ministros para ir ao local onde se oferece a casa para o culto e para comprar o material evangelístico necessário e para registrar a igreja.

    4 - Iniciar cultos nas casas escohidas liderados pelos ministros escolhidos e evangelismos.

    5 - Publicar o livro impresso.

    6 - Iniciar os cursos para a formação dos ministros escolhidos, para sua preparação espiritual e para preparar novos ministros.

    ResponderExcluir