domingo, 8 de janeiro de 2017

CREMOS NA VERDADE






Artigo de minha autoria publicado na revista Ensinador Cristão (Ano 18 Nº 69), 1º trimestre de 2017


A Era pós-moderna é caracterizada por um crescente relativismo. Para muitos a verdade é apenas um conceito que varia de acordo com paradigmas pessoalmente estabelecidos, estando assim sujeita a vários fatores como cultura, religião, opção sexual, pensamento político, dentre outros. Não existe assim uma verdade universal que tenha validade para todos os povos em todos os tempos. Os valores morais e éticos do passado, muitas vezes são considerados ultrapassados para uma sociedade em constante mudança.


A adolescência é um período de afirmação, no qual o ser humano busca um espaço na sociedade a sua volta. É uma fase de transição, que ocorre de forma cada vez mais precoce, onde a infância é deixada para trás e o mundo adulto é apresentado, novos direitos são desfrutados, mas novos deveres e responsabilidade são exigidos.
Por este motivo o adolescente, por buscar uma inserção em um grupo social, acaba se tornando suscetível a influência de uma sociedade cada vez mais afastada dos valores e da moral cristã. Então como proteger a sua mente de influências erradas? Como ensinar que a verdade não é algo fragmentado, com a sociedade hodierna ensina, mas que existe apenas uma e seu valor é universal?
Somente através do ensino sistemático da Palavra de Deus é que conseguiremos protegê-los dos constantes ataques sofridos por sua mente. Não é necessário isolá-los de tudo e de todos, pois, como igreja, também foram chamados por Deus para influenciar positivamente a sua geração.
Devem compreender que a verdade é a Palavra de Deus (Jo 17.17), para tanto cabe a Igreja, em especial ao professor de EBD, ensinar, de maneira clara e objetiva os fundamentos de nossa fé. Esta tática não é nenhuma novidade na história eclesiástica, pois na Igreja Primitiva, os catecúmenos decoravam o “credo apostólico” para se proteger dos constantes ataques do gnosticismo que se espalhava ao seu redor. Nossos adolescentes devem estar preparados para darem, quando solicitados, a razão de sua fé (1 Pe 3.15).
A Igreja deve demostrar para seus adolescentes que a doutrina cristã não é algo que teve validade apenas para a sociedade do século I, mas que é válida para todos os homens de todas as gerações. Não é apenas uma superstição irracional que deve ser superada, como afirmam os críticos da fé, mas, cremos que fé e razão se complementam.
Em um mundo onde tantos caminhos são apresentados como verdadeiros e agradáveis, mas que no fim levam a destruição (Pv 14.12) devemos ensinar que Jesus Cristo é o verdadeiro caminho que traz vida (Jo 14.6), e vida em abundância (Jo 10.10).

Aquele que milita no ensino cristão somente pode se satisfazer quando seus alunos entendem e têm pleno conhecimento dos rudimentos de sua fé. Nada menos do que isto é permitido! Pois vivemos em uma sociedade doente, que sem saber está aprisionada em seus vícios e delitos. Somente o conhecimento da verdade liberta (Jo 8.32). Então devemos nos aprofundar em conhecer esta verdade, que é a Palavra de Deus, somente assim teremos uma íntima comunhão com o Senhor Jesus Cristo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário