sexta-feira, 22 de julho de 2011

O JESUS ISLÂMICO (PARTE I)


INTRODUÇÃO


A palavra Islam é derivada da palavra árabe salám e significa paz. Seu sentido religioso significa submissão voluntária à vontade de Deus. A religião islâmica foi fundada por Muhammad [1], beduíno árabe nascido no dia 20 de abril de 571 d.C. Diz a tradição que aos 40 anos de idade recebeu a revelação de que havia sido escolhido por Deus para ser o último de seus mensageiros, com a missão de orientar todas as criaturas do mundo, pois, segundo o islamismo, durante a história da humanidade Deus teria enviado para diferentes povos e em diversas épocas 124.000 profetas com a missão de orientar os homens para a adoração ao Deus verdadeiro.

                                                    Muhammad recebendo a revelação do Corão através do arcanjo Gabriel     

Um dos pilares do Islam é a crença sem distinção, em todos os mensageiros desde Noé, considerado o primeiro, até Muhammad considerado o último e que trouxe a mensagem final para toda a humanidade, o Corão [2], que é a maior fonte de autoridade do Islam e teria sido revelado por Deus através do arcanjo Gabriel. Todos os profetas teriam sido homens que não pecaram, mas eram limitados não possuindo nenhum tipo de divindade.

Jesus, para o Islam, está nesta classe de mensageiros estando entre os cinco principais profetas, ao lado de Noé, Abraão, Moisés e Muhammad. Foi um profeta enviado para os israelitas, sendo considerado o último profeta a surgir antes de Muhammad, conforme este mesmo segundo a tradição, teria afirmado: "Eu sou o parente mais próximo de Jesus, filho de Maria, neste mundo e no outro. Os profetas são irmãos, filhos do mesmo pai. As suas mães são diferentes, mas a sua religião é só uma. Não houve mais nenhum profeta entre nós." [3]

Devido a esta posição, Jesus é muito honrado no Islam sendo citado diversas vezes no Corão e em outras literaturas muçulmanas, mas sempre como um profeta que está abaixo de Muhammad.


Notas:

[1] Os muçulmanos não aceitam a tradução "Maomé" por considerarem depreciativa e por seguirem a regra de que nome próprio não se traduz.

[2] O Corão, palavra árabe que significa leitura por excelência ou recitação, é dividido em 114 Suratas (capítulos) e  é formado por 6342 versículos, 77.930 palavras e 323.670 letras. Total de palavras e letras em árabe, que é considerada a única forma de Corão. As traduções não são consideradas como Corão Sagrado, mas são tidas como simples exegeses do sentido real. Segundo a tradição do Islam a revelção do Corão demorou 23 anos para ser concluída. Encontramos em seu texto resíduos de mitologia árabe, partes da Bíblia, do Talmud e de textos cristãos apócrifos, que eram ainda usados por comunidades cristãs do Oriente Médio da época.

[3] ISBELLE, 2003, 149.


Referência Bibliográfica:

ISBELLE, Sami Armed. Islam, A sua crença e a sua prática. 1. ed. Rio de Janeiro: Azaan, 2003.


                                                   



Nenhum comentário:

Postar um comentário